Eu sempre invejei um tipo específico de pessoa: os exploradores.

Sempre sonhei em sair por aí, conhecer novos lugares, explorar o desconhecido, ter novas experiências... Mas parece que algo sempre me prende. Não sei se é o medo, se eu que ponho limitações nos meus próprios sonhos ou se é puro comodismo.

No sábado acordei inquieta.

Minha cabeça estava a mil, senti como se eu tivesse esgotando toda a minha criatividade num mesmo lugar. Fotografando as mesmas coisas over and over again, as mesmas pessoas, os meus lugares... Senti como se eu olhasse em volta e só enxergasse a mesma coisa: a prisão que eu mesma coloquei em minha volta, me impedindo de ver através do que eu já conhecia.

No fim do dia eu nem explorei nada novo.

Andei pelos mesmos lugares, com as mesmas pessoas, mas com uma perspectiva diferente.

A inquietação estava lá e eu tirei proveito disso. Talvez a luz estivesse diferente, ou as árvores, ou as flores e folhas caídas no chão. Ou talvez tudo estivesse igual, mas eu estava explorando-as novamente.

Vá atrás, corra, busque, almeje, alcance.

EXPLORE!

Comment