A identidade cultural urbanística de Brasília tem um peso muito forte no CONIC.

Até hoje não sei bem o que é o CONIC. É um centro comercial? É um centro religioso? É um centro empresarial?

Pra quem não é de Brasília, um esclarecimento: No CONIC tem de tudo. Lojas que vendem artigos para fumo, artigos sexuais, camisetas de bandas, camisetas conceituais, acessórios no melhor estilo metaleiro/gótico/emo/roqueiro/punk; tem salões de beleza pra cabelos afro, tem clínicas médicas, tem empresas, tem igrejas... enfim. Tem de tudo.

Em 2008 eu frequentava tanto o CONIC que parecia que eu tinha trocado os shoppings por aquele lugar. Comprava blusas com etampas legais e divertidas, pulseiras de couro, presilhas de cereja e morango, bolsa com estampa de jornal (sim. isso mesmo)... Comprei minha primeira camiseta do Ramones lá. Até hoje tenho vontade de comprar uma do Sex Pistols com uma estampa que só uma loja de lá tem.

O primeiro disco de vinil que eu tive na vida veio de lá. Presente de um amigo. O CONIC tem de tudo. Tem amor, tem mistério... Confesso que não é o melhor lugar de Brasília. Nem o mais seguro e nem o mais bonito. Mas eu o amo.

Eu amo o CONIC.

A aula tava marcada para às 8h15, mas às 7h50 eu já tava lá.

Afinal de contas não era só mais uma saída fotográfica qualquer. Era uma visita ao CONIC! Depois de todos esses anos, de todas as memórias que fiz lá... De ir sábados de manhã acompanhada do meu (até então) melhor amigo comprar discos de vinil, CDs e ganhar de presente alguma coisa.

Ah, CONIC... você...

:')

1 Comment