Essas últimas semanas foram bem cheias. Assim, bem cheias mesmo.

Às vezes eu tenho a sensação que as horas são intermináveis, que os dias ruins estão ultrapassando os dias bons e que o que sobrou de mim foram apenas cacos.

Mas, na maioria das vezes, o que funciona comigo é manter a positividade em absolutamente tudo. Tudo mesmo.

Tô agora querendo tirar o máximo de bom de tudo que há de ruim e prova disso são essas fotocas que consegui fazer no meio do caos de um meio de semana.

Eu tenho uma sorte imensa de estar sempre rodeada de pessoas incríveis. Sempre dispostas a ajudar alguém e tenho muito orgulho de colar com gente do bem.

Há quanto tempo eu não saía pra fotografar algo específico e voltava pra casa cheia de histórias e fotos feitas no "in between" do que era pra fazer?

Na faculdade isso acontecia com frequência, na vida adulta, nem tanto. Lembro também que na época de universitária, quem me acompanhava nessas idas e vindas loucas do caos urbano era sempre o Lucas e depois o Samuhel

Cheguei em casa cansada e estressada, não vou mentir.

Ainda com dores nas costas e a mente acelerada, abri as fotos que fiz no dia.

Um momento de paz, de alegria. Os momentos pequenos registrados pela minha câmera foram a salvação do meu dia.

Essa luz, essas pessoas, essa cidade...

Ah, como é bom ter vivido mais 24 horas. Mesmo que essas tenham sido um turbilhão de momentos inesperados.

P.s: Pessoas que usam câmeras Canon: eu as invejo. Olha só esse flare de fim de dia. <3

P.p.s: Lucas e Sam, obrigada por tudo. Tudo.

2 Comments