No primeiro dia da minha nova rotina forçada, eu decidi celebrar. Decidi pegar o meu (agora) tempo livre e fazer dele uma coleção de momentos agradáveis. Chamei o Samuhel pra ir visitar um lugar que há muito eu vinha admirando: o Espaço f/508 de Fotografia.

A curiosidade já me habitava há bastante tempo, mas o impulso veio quando eu vi que ainda tinham exemplares disponíveis do fotolivro Retratos Pra Yayá, de Irmina Walczak e Sávio Freire, que são dois artistas incríveis daqui de Brasília.

Sentei no café mais adorável e aconchegante do Planalto Central e fui me deliciando de uma omelete, um capuccino e junto do meu melhor amigo, folheei essas páginas inspiradoras.

Tem sido muito importante pra mim me conectar cada vez mais com o mundo da fotografia. Ainda guardo uma mágoa de mim mesma por ter deixado 2016 passar tão em branco.

Agora tudo está diferente, cheio de cor e vida. Meu mundo sofre mudanças constantes, nem todas elas boas, mas certamente tiro uma lição e uma foto de cada momento vivido – bom ou ruim.

Abaixo fotos da melhor segunda-feira que eu tive desde o início do ano. Agora tudo está nos eixos.

 

 

Pois que façamos sempre assim: quando o mundo virar de cabeça para baixo, respire fundo e faça o que for preciso pra ficar bem.

Seja chorar de raiva, de tristeza ou apenas chorar por chorar; ou visite um café, uma livraria, um espaço cultural, um museu que seja.

O importante é ficar bem, se sentir bem.

Até! <3

1 Comment